Local de experimentação, Coffee Lab é eleita melhor cafeteria de SP

Júri - Melhor Cafeteria

Carolina Moraes
São Paulo

​Precisa saber das últimas fofocas da política, descobrir qual o novo livro imperdível ou se atualizar das últimas pesquisas científicas? Na Europa do século 17, a sugestão provavelmente seria: "vá a um café!".

Isso porque, em um continente ébrio, o grão do oriente foi um sopro de sobriedade. Mesmo passando por percalços, a bebida se tornou um dos símbolos do racionalismo e, as cafeterias, o epicentro de atividades intelectuais, como mostra Tom Standage no livro "História do Mundo em 6 Copos".

Eis que, no século 21, um café na Vila Madalena ainda exibe o espírito daquele tempo. Como em um laboratório (o nome Coffee Lab já sugere), a cozinha, no meio do salão, parece mais um espaço de experimentação: é possível pedir diluições diferentes dos microlotes, o concentrado e o que chamam de "nossa receita"; provar mais de dez opções quentes e quatro frias —e, a essa altura, já se perde a noção de quantos sabores o grão pode adquirir.

 

Atentar-se ao sabor, aliás, é uma das instruções dos baristas. Engana-se, no entanto, quem acha que isso confere rigidez ao serviço. O preparo minucioso e o tilintar vindo da cozinha convivem em harmonia em um ambiente com plantas, conversas em mesas coletivas, cliques em teclados e até com a passagem das páginas de um livro.

Preservação do espírito da bebida à parte, o espaço é também sinal das mudanças de nosso tempo. Há quatro séculos, não sugeriria irmos a um café para nos atualizarmos: mulheres não eram permitidas. E este é brilhantemente comandado por uma.

Guloseimas

Coffee Lab

Cafés

Na cafeteria da premiada barista Isabela Raposeiras, os grãos —de microlotes especiais— são torrados e moídos ali mesmo e extraídos a partir de diferentes métodos. Os expressos custam R$ 6,50 e o valor das bebidas preparadas no filtro Hario, no Clever e na aeropress varia de acordo com a matéria-prima. O menu reúne alguns rituais para quem quiser conhecer um pouco mais sobre o assunto, a exemplo do número um (R$ 18), que leva à mesa duas xícaras de coado, um elaborado com café comum e outro com café especial. Para comer, há sugestões como o tostex de brioche orgânico com queijo minas (R$ 17). Em gôndolas, ficam disponíveis pacotes de 250 gramas com os grãos e acessórios para os clientes levarem para casa.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.