Confira 18 bares, botecos e cervejarias para se divertir no Rio

Há opções para os mais variados gostos e bolsos

Rio

Esteja você de passagem ou em viagem prolongada no Rio, vale a pena conhecer um (ou alguns) dos lugares selecionados. 

BONS DRINQUES  

Arp
Na beira da praia do Arpoador, anexo ao recém-reformulado hotel homônimo, foi aberto em maio. O menu de comidinhas é assinado por Roberta Sudbrack e o de coquetéis, por Néli Pereira. Entre as bebidas, o mojito da Amazônia traz infusão de aridan, cumaru, hortelã, xarope de demerara e limão (R$ 26). Para comer, vieiras na brasa com manteiga queimada (R$ 82) ou a salada mozza! Tomate!, com tomate orgânico marinado, mozarela de búfala, basílico e pão queimado (R$ 28).
Hotel Arpoador. R. Francisco Otaviano, 177, Arpoador, tel. (21) 2529-1000. Seg. a dom - café da manhã: 7h às 12h (bufê). Almoço: 13h às 16h. Jantar: 18h às 22h. Bar até as 23h.

Garoa 
Na rua mais gastronômica do Leblon, a filial carioca da casa —nascida em Santiago de Compostela, na Espanha— tem à frente do bar o mixologista Igor Renovato. O carro-chefe é o gim: são mais de 
20 coquetéis com a bebida (R$ 32 cada um). Inspirado na primeira viagem do bartender à Espanha, o de Compostela é feito com gim Bombay, infusão de parmesão, brandy de Jerez, xarope de pão, molho de maracujá e mexilhão em conserva. 
R. Dias Ferreira, 50, Leblon, tel. (21) 3591-7617. Ter. e qua.: 19h à 1h. Qui.: 19h às 2h. Sex. e sáb.: 19h às 2h30.

Meza
Já completou 11 anos e é um dos pioneiros da coquetelaria na cidade. Envolto em uma folha de bananeira, o savana 55 combina vodca em infusão de cumaru, licor de pequi e shrub de caju e limão 
(R$ 29). Já o urutu (R$ 35) vem num copo dourado oval com vodca Ciroc Peach e Pineapple, cupuaçu, maracujá e Mandarinetto. Os quitutes têm assinatura da chef e sócia Andressa Cabral e chegam em potinhos, caso do lamen com carne de porco, camarão e tucupi (R$ 30).
R. Capitão Salomão, 69, Humaitá, tel. (21) 3239-1951. Dom.: 18h à 1h. Seg. a qui.: 11h30 às 15h30 e 18h à 1h. Sex.: 11h30 às 15h30 e 18h às 3h. Sáb.: 18h às 3h.

 

Nosso
Aqui, quem dá as cartas é o rum: a casa oferece mais de 30 tipos, de diferentes nacionalidades. Um dos drinques mais pedidos é o dark n’ stormy, com rum envelhecido, limão-siciliano, bitters e ginger beer 
(R$ 31). A comida fica a cargo do chef Bruno Katz, ex-Olympe, que criou sugestões como o polvo com arroz negro cremoso, aïoli de páprica picante e tempurá (R$ 79). 
R. Maria Quitéria, 91, Ipanema, tel. (21) 99619-0099. Ter. a qui.: 19h à 1h. Sex. e sáb.: 19h às 2h.

Stuzzi 
Recentemente, o bar ganhou um reforço e tanto nos coquetéis: Alex Miranda e Lelo Forti (ex-Mixxing) agora são sócios da chef Paula Prandini. Do balcão, saem drinques como o pecato rosso, com vodca Absolut, coulis de frutas vermelhas, sour mix e espuma de gengibre (R$ 33). Para acompanhar, o menu lista petiscos e pratos, da porção de coxinhas de polenta recheadas de frango e emulsão de Catupiry (R$ 35) ao risoto de açafrão com frutos do mar e limão-siciliano (R$ 41).
R. Dias Ferreira, 45, Leblon, tel. (21) 99138-4663. Ter. a sáb.: 19h às 3h. Dom.: 18h às 24h.

Vizinho
Jessica Sanchez comanda o balcão, com criações como o come as you fucking are —vodca Grey Goose, redução de vinho do Porto, grapefruit e Peychaud’s Bitters (R$ 31). Do cardápio de comidas, enxuto, fazem sucesso os sanduíches. O de costela bovina desfiada com molho de gorgonzola e queijo minas padrão é gratinado na baguete crocante (R$ 36).
Vogue Square. Av. das Américas, 8.585, quiosques 3-4, Barra da Tijuca, tel. (21) 97154-0841. Dom., ter. e qua.: 17h às 24h. Qui.: 17h à 1h. Sex. e sáb.: 17h às 3h.
 

BOTECOS


Adega Pérola
O grande charme do bar, fundado em 1957, é seu balcão com conservas: cerca de cem opções ficam expostas, seduzindo a clientela. Dali, saem tesouros como o alho espanhol no azeite (100 g, R$ 28) 
e o polvo ao vinagrete (100 g, R$ 36). A cozinha também prepara receitas quentes —a porção de lula frita custa R$ 44. Em 2010, correndo o risco de fechar, foi comprado por três frequentadores. Além do chope Colorado Indica (R$ 10), serve cerca de 30 rótulos de cervejas artesanais. 
R. Siqueira Campos, 138, Copacabana, tel. (21) 2255-9425. Seg. a sáb.: 11h30 às 2h.

Armazém São Thiago
Neste ano, comemora-se o centenário da casa, também conhecida como Bar do Gomez —homenagem ao antigo sócio, o espanhol José Gomez Cantorna, morto em 2016. O casarão traz diversos objetos da época em que foi fundada, da geladeira com portas de madeira à caixa registradora. Os bolinhos são o carro-chefe e aparecem em mais de 20 versões, como o de feijão branco com calabresa (R$ 10 a unidade). O chope Brahma vem na caldereta (R$ 7,50) ou na jarra de 1,5 litro (R$ 30).
R. Áurea, 26, Santa Teresa, tel. (21) 2232-0822. Seg. a sáb.: 12h às 24h. Dom.: 12h às 22h.

Bar Brasil
Encravado na Lapa desde 1907, é um dos bares tradicionais que resistem no bairro boêmio. Quando abriu, chamava-se Zeppelin; mudou de nome após a Segunda Guerra. As receitas alemãs dominam o cardápio, com sucessos como o croquete alemão (R$ 8 a unidade e R$ 36 a porção) e o joelho de porco aperitivo (R$ 57). Na ala de refeições figuram o einsbein, joelho de porco com chucrute e batatas cozidas 
(R$ 82, para dois), e o kassler, costela de porco defumada, acompanhada por salada de batatas (R$ 58 para um e R$ 88 para dois). Chope Brahma: R$ 6,50.
Avenida Mem de Sá, 90, Lapa, tel. (21) 2509-5943. Seg. a sáb.: 11h às 24h.


Bar do Momo
O local pertenceu a um Rei Momo e, em 1987, foi comprado por Antonio Lopes dos Santos, o Tonhão. Mas conquistou uma legião de fãs quando o festival Comida di Buteco revelou o talento de Antonio Carlos Laffargue, o Toninho, filho do dono e responsável pelas receitas que fazem a fama do botequim da zona norte —hoje, os frequentadores se espalham pela calçada. Um dos destaques é o farol de milha: porção de filé de lagarto recheado com linguiça, intercalado por queijo meia cura, com ovo estrelado por cima e torradas de alho (R$ 29). Não aceita cartão.
R. General Espírito Santo Cardoso, 50-A, Tijuca, tel. (21) 2570-9389. Seg. a sáb.: 7h às 22h.

Casa Paladino
Patrimônio da cidade, foi fundada em 1906 como uma fina delicatéssen. Daquele tempo, resta a ambientação, praticamente intacta. Atualmente, funciona como bar e armazém de secos e molhados. Famoso no Rio inteiro é o sanduíche triplo, que vem com um embutido, provolone e ovo no pão francês (a partir de R$ 11). Já as omeletes podem ser recheadas de bacalhau (R$ 26) ou gorgonzola (R$ 28). 
R. Uruguaiana, 224/226, centro, tel. (21) 2263-2094. Seg. a sex.: 7h às 20h30. Sáb. (somente loja): 8h às 12h.

Cervantes
Seu sanduíche com abacaxi é um dos ícones gastronômicos cariocas. Para o recheio, pode-se escolher entre 30 sabores, como filé-mignon (R$ 30; com queijo, R$ 34) e pernil (R$ 22 e R$ 26). Outro clássico é o salsichão com salada de batatas (R$ 45). A casa original, em Copacabana, recebe notívagos madrugada adentro. Duas filiais foram abertas na Barra.
Av. Prado Júnior, 335, loja B, Copacabana, tel. (21) 2542-9287. Ter. a qui.: 12h às 4h. Sex. e sáb.: 12h às 6h. Dom.: 12h às 2h. 

CERVEJAS

Booze Bar
Há quatro anos operando na Lapa, oferece cerca de 150 opções de cervejas em garrafa e tem 16 torneiras de chope. A régua de degustação com quatro copos de 150 ml inclui Booze pilsen, Booze weiss, irish red ale e session IPA (R$ 20). Para os vegetarianos, a novidade do cardápio é o sanduíche de faláfel (R$ 26).
Av. Mem de Sá, 63, Lapa, tel. (21) 2252-1588. Seg. e ter.: 17h às 24h. Qua. e qui.: 12h à 1h. Sex. e sáb.: 12h às 3h.

Brewteco
O ambiente é como o de um velho e bom pé-sujo carioca, mas as cervejas vão muito além do que se costuma encontrar nesses bares. Tem 15 torneiras de chope artesanal, sendo quatro da casa: Pilsenzinha (R$ 9, com 300 ml); a APA Pé Sujo (R$ 10); Meio a Meio, de trigo (R$ 10); e a IPA Traçado (R$ 12).  
R. Dias Ferreira, 420, loja E, Leblon, tel. (21) 3217-8280. Seg. a sáb.: 11h à 1h. Dom.: 15h30 às 24h. 

Delirium Café
Ipanema ganhou uma filial do famoso bar de Bruxelas, a primeira das Américas, há dez anos. A carta de cervejas lista cerca de 400 rótulos e há dez torneiras na casa. A Delirium Tremens é um dos sucessos, na versão chope, com 350 ml (R$ 29), ou na garrafa de 330 ml (R$ 34,90). 
R. Barão da Torre, 183, Ipanema, tel. (21) 2502-0029. Seg. a qua.: 17h à 1h. Qui.: 17h às 2h. Sex. e sáb.: 17h às 3h. Dom.: 16h às 24h.

Hocus Pocus DNA
A cervejaria carioca abriu bar próprio em 2016, ocupando uma antiga oficina mecânica em Botafogo. Das 14 torneiras, seis são fixas e trazem sugestões da casa, como a Pineapple Express, uma american IPA com abacaxi (R$ 15,50). No menu, há quitutes como as azeitonas empanadas (R$ 10) e o croquete de língua (R$ 15).
R. Dezenove de Fevereiro, 186, Botafogo, tel. (21) 4107-3107. Seg. e ter.: 11h45 às 15h30 e 18h às 24h. Qua. e qui.: 11h45 às 15h30 e 18h às 2h. Sex. e sáb.: 18h às 2h.

Hop Lab Pub 
Tem 30 torneiras de chopes nacionais e importados, além de uma carta de drinques. A pilsen da casa, Blank Mind Monk, custa R$ 15 (300 ml). Para comer, o burger suíno leva queijo, tomate, cebola caramelizada e maionese de ervas no brioche (R$ 36). 
R. Barão de Iguatemi, 292, Pça. da Bandeira, (21) 3217-1146. Ter. a qui.: 17h às 23h. Sex. e sáb.: 17h às 24h. Dom.: 12h às 18h.

Yeasteria - Ponto Cervejeiro
Na casa, o cliente escolhe entre 300 rótulos de cerveja e oito torneiras de chope 
(de R$ 7 a R$ 12, em copos de 300 ml). O cachorro-quente hot costella vem com duas linguiças de costela angus, queijo gouda gratinado, cebola crocante, molho à escolha e batatas fritas (R$ 31,50).
R. Pereira Nunes, 266, Tijuca, tel. (21) 3579-3003. Ter. a qui.: 18h às 24h. Sex. e sáb.: 18h à 1h. Dom.: 18h às 23h.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.